Não é por acaso que o termo “ajuda externa” descreve uma ação que tem como única penalidade a desclassificação. Não poderia ser de outra maneira, embora alguns, por desconhecimento ou má fé, insistam em defender a prática. Para você que não sabe do que estou falando, a “ajuda externa” em competições de rua acontece quando o atleta recebe de alguém (que não faz parte da organização) um produto ou utensílio a ser usado na prova ou mesmo descarta com pessoas de fora algo que carregava no percurso, e quando alguém que não está inscrito ou que já completou a prova acompanha um atleta para fazer ritmo (pace).

A Organização do Circuito Cacau Running, por meio de árbitros Oficiais da Competição, tem aplicado a regra e vai continuar combatendo atitudes antidesportivas nos seus eventos.

pace

A seguir apresentamos algumas destas situações e as argumentações dos envolvidos:

“Ah, mas o atleta estava passando mal, precisava de água, e eu dei.” (ERRADO)

Você conseguirá fornecer a água para todos os atletas? Não? Então aquele que você escolheu para ajudar é seu amigo, parente ou treina sob sua orientação! A água permitida será sempre a fornecida pela organização, com acesso a todos em igual quantidade e em pontos pré-determinados. Está acondicionada e em temperatura própria para atender às necessidades de hidratação. Além disso, não há como controlar a qualidade de produtos de origem desconhecida. Como você vai saber de onde veio o produto que ingeriu? E se passar mal ou se intoxicar, de quem será a responsabilidade? Já pensou que caos seria se todos no público pudessem fornecer produtos aos atletas?

“Ah, mas meus atletas não estão competindo, só desejo fornecer mais condições para ele completar o percurso com segurança.” (ERRADO)

Esse negócio de não está competindo só pode derivar de uma leitura fora de contexto. A maioria das competições fornece os tempos por categorias de idade, com classificação mesmo para os amadores, ou seja, é se inscrever para fazer parte de listas de ranking por idade, se importando com isso ou não. Na Etapa Bataclan do Circuito Cacau Running (último final de semana), premiamos (por ser a etapa final) os três primeiros colocados de cada uma das categorias da faixa etária. Para a premiação as condições precisam ser iguais para cada um, e os tempos obtidos resultados do esforço individual nos treinos e na competição. Tentar fornecer algo a mais para que alguns se saiam melhor é, além de todas as questões já abordadas, um comportamento vil, que precisa ser sempre combatido. No caso do “pace” não há outro benefício a não ser o efeito de melhora no rendimento de um em detrimento dos outros competidores!

“Ah, mas eu estava correndo e voltei pra ajudar!” (ERRADO)

Um atleta pode ajudar o outro, se ambos estiverem regularmente inscritos, na mesma distância e momento de prova, e esta ajuda não impossibilita o benfeitor de completar a prova. Na Etapa Bataclan dois competidores chegaram de mãos dadas, sem nenhum problema. Portanto, está proibido completar sua prova e voltar ao percurso para “buscar” esse ou aquele amigo… A desclassificação virá para ambos. Nas corridas de rua é um comportamento frequente, principalmente de treinadores mal informados ou novatos no esporte.

É importante dizer que a característica que diferencia a prática do exercício físico da prática do esporte é que a segunda é orientada por regras pré-definidas, instituídas por Federações Estaduais subordinadas a uma Confederação Nacional. Regras podem variar de um ambiente a outro, mas devem ser claras e valer para todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *